Dicas: Cirurgia de Varizes: cirurgia com laser, cirurgia tradicional e microcirurgia (Parte 2)

Posted on

Foto: Pockafwye, Ed Uthman As varizes na gravidez são um sinal normal que aparece devido ao aumento de sangue na grávida e ao efeito relaxante dos hormônios sobre as veias.

As varizes na gravidez acontecem frequentemente nas pernas, pois o peso do bebê na barriga dificulta que o sangue suba de volta para o coração. O tratamento para varizes na gravidez pode ser feito com a aplicação alternada de água quente e fria sobre o local, durante o banho. Além disso, para cuidar das pernas com varizes, a grávida pode colocar um saco de gelo sobre as pernas, pois ajuda a contrair as veias e a diminuir a dor. Pessoas de pele muito clara ou muito magras podem ter veias mais visíveis e salientes, o que não quer dizer que tenham varizes. Além disso, a grande quantidade de hormônio circulante e de líquido nas veias durante a gravidez justificam a importância de usar meias elásticas durante  gestação. Portanto, se alguém perguntar, agora você já sabe como é a cirurgia de varizes. Antigamente, digo há mais de trinta anos atrás, as incisões para a cirurgia eram muito maiores e assim a agressão cirúrgica também. Com o refinamento da técnica cirúrgica e a modernização do tratamento, hoje é possível fazer uma cirurgia muito mais delicada e, em muitos casos, praticamente sem dor. Pergunta #6: É preciso usar meias elásticas após cirurgia de varizes?

E se mesmo sabendo que o risco da cirurgia de varizes é pequeno eu não quiser operar?

  • Preço: cerca de 1000 reais, podendo variar de acordo com o médico e clínica selecionados.

E já ouvi muitos comentários tipo “…tem que usar meias elásticas…” depois de uma cirurgia de varizes.

Pergunta #7: Qual a melhor época para a cirurgia de varizes? Mais uma vez: quanto mais cedo for feito o tratamento, melhor (quantas vezes você já leu essa afirmação neste artigo?). “Se você quer as pernas em ordem para a próxima estação, seu tratamento deve ser agora…” Pergunta #8: As varizes podem voltar? Após a remoção de varizes por cirurgia, veias que são retiradas não voltam mais. Assim, quanto mais cedo as varizes forem removidas, melhor o resultado estético e menores as complicações futuras. “Mas Doutora, de que adianta operar as varizes se elas voltam? “: muitas vezes ouço essa frase no consultório após indicar uma cirurgia de varizes. Será mesmo verdade que as varizes voltam depois da cirurgia? Quando realizamos qualquer tratamento para varizes, seja cirurgia, laser, radiofrequência, espuma etc, estamos retirando aquela veia que não está funcionando bem naquele momento.

Quando fazer a cirurgia para retirada de varizes?

  • Preço: normalmente o valor é de 250 reais por sessão, mas podem ser necessárias até 10 sessões, dependendo da quantidade de varizes.

Um estudo publicado em 1996 (saiba mais ) mostrou que um detalhado exame de ultra-som doppler é essencial nos casos de reaparecimento das varizes após a cirurgia.

De acordo com Guilherme Pitta, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, qualquer pessoa pode ter varizes, mas elas aparecem três vezes mais em mulheres. Quem sofre com varizes deve ir ao médico vascular, que indicará o melhor tratamento para cada caso. “Nos piores casos, em veias maiores e verdes, o melhor é operar”, recomenda Guilherme. A escleroterapia é um tratamento feito pelo médico angiologista para eliminar ou diminuir veias e, por isso, é muito usado para tratar vasinhos na pele ou varizes. Por isso, a escleroterapia é também muitas vezes referida como ”aplicação para varizes” e geralmente é feita com a injeção de uma substância diretamente na variz para eliminá-la. Este tratamento pode também ser usado em outros casos de veias dilatadas, como hemorroidas ou hidrocele, por exemplo, embora seja mais raro. A cirurgia para varizes é utilizada quando outras formas de tratamento não-invasivo, como dieta ou uso de meias compressivas, por exemplo, não conseguiram eliminar ou disfarçar as varizes. A cirurgia laser é indicada para tratar vasinhos ou varizes pequenas, e é feita com a luz de um laser aplicada diretamente sobre o vaso da variz. Nesta cirurgia, o médico faz pequenos cortes sobre as varizes e remove os vasos que estão provocando as varizes mais superficiais.

Cirurgia de Varizes: cirurgia com laser, cirurgia tradicional e microcirurgia

  • Dor ou incômodo durante o ato sexual
  • Dores fortes abdominais parecidos com cólicas
  • Incontinência Urinaria

Esta operação também é conhecida como cirurgia tradicional e é utilizada no caso de varizes mais profundas ou grandes.

O pós operatório da cirurgia de varizes depende do tipo de cirurgia e, por isso, deve ser sempre indicada pelo médico. Infelizmente o meu problema vem de família ou, espantem-se, de uma cirurgia que fiz aos cinco meses de idade (hei-de saber melhor disto na próxima consulta). Sempre tive dor nas pernas, dois anos atrás fui numa angiologista e disse que eu precisaria fazer a cirurgia para tratamento das varizes, pois tenho bastante mesmo tendo 28 anos. Voltei essa semana no medico vascular que fez a cirurgia na minha sogra; ele também disse você precisa operar, pois o tempo passa e elas estão ficando pior. O objetivo do Dr. Tessari era produzir um esclerosante que fosse mais eficaz, tratando as varizes de forma simples, barata e sem cirurgia. Para que operar se você pode apenas injetar uma espuma no interior da veia e está tudo resolvido! Ele pode ser realizado no próprio consultório do médico Cirurgião Vascular sob anestesia local, e não requer os cuidados que uma cirurgia de varizes necessita. Porém, a efetividade do tratamento para varizes com espuma não é tão boa quanto à cirurgia, seja a cirurgia tradicional ou os métodos mais recentes como laser e radiofrequência. De cara já cheguei dizendo que eu não achava necessário operar no meu caso (#aloka).

– Não, eu não vou ter que operar agora, mas se tivesse não teria nenhum tipo de problema.

Espero ajudar a encorajar quem precisa se livrar do mal das varizes, melhor fazer isso de uma vez não é mesmo? É recomendável que qualquer tratamento, especialmente o cirúrgico, seja realizado somente três meses após a gravidez. Durante a gravidez, as veias já dilatadas podem chegar a dobrar ou triplicar de tamanho, gerando desconforto e fortes dores nas pernas. A boa notícia é que a maioria das veias dilatadas que surgem na primeira gestação voltam ao normal após o termino da gravidez. Por que as varizes aumentam na gravidez? Como se prevenir das varizes na gravidez? Os cuidados abaixo vão ajudar você a amenizar estes problemas desagradáveis e a prevenir as varizes na gravidez: Não é aconselhável remover as varizes e vasinhos durante a gestação. A recuperação desta cirurgia de varizes acontece em cerca de 1 a 2 semanas, sendo que as atividades físicas estão liberadas após 30 dias. No entanto, essas orientações podem fazer diferença: Frequentemente recebo no consultório grávidas no início da gestação desejosas em tomarem “remédios milagrosos” para não terem varizes na gravidez.

Conte-nos se teve varizes na gravidez e qual foi sua experiência!

Que a gravidez está relacionada com as varizes, desencadeando-as ou agravando um quadro pré-existente, isso todos sabem. Sendo assim, cabe a dúvida: “Uma vez que as varizes são quase inevitáveis após a gravidez, melhor esperar engravidar e buscar tratamento depois dessa fase? Há vários motivos para que isso ocorra: - Durante a gravidez ocorre um aumento do volume de sangue. - Um nível mais alto do hormônio progesterona também contribui para varizes, fazendo com que as veias fiquem mais dilatadas. Você não pode controlar uma história familiar de varizes, nem as mudanças em sua circulação, muito menos as alterações hormonais durante a gravidez. Ainda assim, você pode tomar medidas para ajudar a prevenir ou atenuar os efeitos das varizes durante a gravidez. O pós-operatório de cirurgia de varizes mudou muito nos últimos anos. Naquelas incisões que necessitam de pontos (quando há necessidade de retirada de veias safenas, ou grandes varizes), estes são em pequena quantidade e muitas vezes nem precisam ser retirados. Mais comum quando a safena é retirada; d) Edema (“inchaço”) quando começar a ficar mais tempo em pé.