Quais são os sintomas das varizes pélvicas / Síndrome de Congestão Pélvica? (Parte 3)

Posted on

Um problema pouco conhecido, mas com muitos casos entre as mulheres é o de varizes no útero ou varizes pélvicas como também são conhecidas.

Este é um dos sintomas da Síndrome de Congestão Pélvica, também conhecida como varizes pélvicas. Não se preocupe, os seus problemas vão acabar porque nós temos o remédio natural mais simples e eficaz para tratar das inflamações uterinas. Leia também: O surgimento de varizes no útero (ou varizes pélvicas) acontece devido à dilatação e alongamento das veias na região da pelve¹. Apesar de também afetarem homens, as varizes pélvicas nas mulheres são mais difíceis de identificar, uma vez que seus sintomas são bastante parecidos com os da endometriose¹. Entre os principais sintomas das varizes pélvicas, estão: ● fortes dores abdominais (na região do baixo-ventre)¹,²; O ecodopler colorido, apesar de ser um exame minimamente invasivo, auxilia no diagnóstico das varizes pélvicas, mostrando veias dilatadas na região dos ovários, do útero e do colo do útero¹. No caso das varizes pélvicas, todo cuidado é pouco, uma vez que as veias na região da pelve têm como função conduzir o sangue ao coração¹. Existem muitas causas para a dor pélvica: endometriose, miomas uterinos, doença inflamatória crônica e a própria cólica uterina pré-menstrual. A pessoa portadora de varizes pélvicas poderá também apresentar varizes cuja causa não se encontra nas pernas, mas sim nas veias insuficientes da pelve.

Dores abdominais crônicas podem ser sinal de varizes pélvicas

  • Têm muito grandes veias dos membros inferiores.
  • Sofrendo de ovários policísticos.
  • Que sofre de alguns disfunção hormonal.

O melhor exame para o diagnóstico da Síndrome da Congestão Pélvica e das varizes pélvicas é a Flebografia.

Confirmada  a causa da dor pélvica pelas varizes pélvicas, durante esse exame já podemos realizar o seu tratamento intervencionista. Mola usada para ocluir as varizes pélvicas. As vezes, as varizes pélvicas podem ter origem na compressão da veia renal, um quadro muito específico chamado síndrome do quebra-nozes (esse tema será abordado em outra postagem). Juliana Puggina Cirurgia Vascular e Endovascular CRM-SP 134.963 As varizes, apesar de serem mais comuns nas pernas, também podem acometer as veias da região pélvica. Síndrome da Congestão Pélvica: entenda o que é isso As varizes pélvicas são veias dilatadas ao redor dos órgãos da pelve, como útero e ovários. O refluxo nas veias da região pélvica podem, inclusive, ser causa de reaparecimento de varizes nas pernas daquelas mulheres que já realizaram cirurgia para varizes. Os portadores dessa síndrome, além dos sintomas relacionados com a congestão das veias pélvicas, apresentam ainda dores nos flancos e perda de sangue na urina (hematúria). As varizes pélvicas nessa síndrome ocorrem pela sobrecarga de sangue nas veias ilíacas devido à obstrução. Além dessas duas síndromes, a obstrução das veias ilíacas e veia cava inferior por um quadro de trombose venosa profunda também podem levar ao aparecimento de varizes pélvicas.

Quais são os sintomas das varizes pélvicas / Síndrome de Congestão Pélvica?

  • Bomba central (coração)
  • Bomba venosa periférica (músculos gémeos das pernas)
  • Plexo venoso plantar
  • Válvulas venosas

Tratamento das varizes pélvicas Quando é feito o diagnóstico desse problema, precisamos identificar a causa das varizes para indicar o melhor tratamento.

Se forem constatadas as varizes pélvicas, você deverá ser encaminhada a um Cirurgião Vascular com experiência em cirurgia Endovascular para realizar o tratamento. O tratamento para as varizes pélvicas pode ser com medicamentos ou cirurgia. Na cirurgia para varizes pélvicas, o médico faz um “nó” nas veias afetadas, fazendo com que o sangue circule apenas nas veias que estão saudáveis. Durante o tratamento para varizes pélvicas, o paciente deve ter alguns cuidados como: Estes cuidados ajudam na compressão das veias e no retorno do sangue para o coração. Te explicaremos como você pode aliviar a dor das varizes e ter melhor qualidade de vida, de forma simples e econômica. IMPORTANTE – a presença das varizes pélvicas sem a ocorrência de sintomas não faz o diagnóstico da Síndrome da Congestão Pélvica. As varizes pélvicas são veias dilatadas na pelve, que apesar de não ter cura, os sintomas podem ser controlados através de tratamento clínico e/ou cirúrgico. Após a gravidez é frequente o aparecimento de varizes devido à pressão exercida pelo útero nas veias pélvicas e também à ação hormonal, que provoca diminuição da tonicidade venosa. Desenvolvido por As varizes pélvicas são uma das causas de dores crônicas abdominais nas mulheres, principalmente após aos 30 anos de idade.

Varizes pélvicas - Síndrome Da Congestão Pélvica

  • Dor abdominal com piora no final do dia;
  • Dor durante e depois da relação sexual;
  • Sensação de peso na região íntima;
  • Incontinência urinária (perda de urina);
  • Aumento da menstruação.

Vejam quais são estes sintomas: As varizes pélvicas dificultam o retorno natural do sangue para o coração, este é o motivo das fortes dores no abdômen que se tornam crônicas.

Os exames mais pedidos para o diagnósticos são: Estudos indicam que aproximadamente 39,1% das mulheres em algum momento da vida ter dor abdominal crônica, provavelmente associadas as varizes pélvicas. Venaflon ajuda a diminuir as sensações de desconforto e diminuir as dores, melhorando sintomas como pernas pesadas, cansaço na parte inferior dos membros e câimbras. Aproximadamente 25% das pacientes com algia pélvica crônica apresentam aderências pélvicas na laparoscopia. As varizes pélvicas e a síndrome de congestão pélvica são alterações vasculares presentes no sistema reprodutor feminino. Cerca de 13 das pacientes com algia pélvica crônica apresenta algum tipo de anormalidade uterina identificada durante a histeroscopia. Não existem sintomas cardinais que definam a origem precisa da dor pélvica. Um dos temas mais abordados durante o RSNA 2010 foi o aprimoramento da técnica e dos resultados no tratamento das varizes pélvicas através da embolização. As varizes pélvicas são causadas pela dilatação das veias que drenam o sangue dos órgãos pélvicos (útero e ovários). Considera-se síndrome da congestão pélvica quando essas dores características ocorrem pelo menos há 6 meses.

Foto: Pockafwye, Ed Uthman As varizes no útero, também conhecidas como varizes pélvicas, surgem devido à dilatação e alongamento das veias na região pélvica.

Apesar de as varizes pélvicas também afetarem o sexo masculino, as mulheres são as mais afetadas pelo problema sendo mais difícil de identificar. Se o diagnóstico de varizes pélvicas se confirmar, o médico poderá prescrever medicamentos analgésicos para aliviar a dor. Juliana Amato, ginecologista e obstetra da Amato Instituto de Medicina Avançada, que garante que as mulheres com varizes pélvicas podem engravidar, “mas devem fazer o tratamento antes. Diagnóstico e TratamentoO diagnóstico e tratamento das varizes pélvicas são obtidos por meio de exames como eco-doppler, tomografia abdominal ou pélvica e angiorressonância. A cirurgia a laser também é usada como tratamento das varizes e tem como objetivo a remoção da maior quantidade possível de veias varicosas. As varizes pélvicas e uterinas costumam ser assintomáticas. Não é comum varizes uterinas e pélvicas darem sintomas e nem causarem trombose profunda, formação de coágulos e embolia pulmonar. Varizes Pélvicas – Causas, Sintomas e Tratamento de forma 100% natural. Embora afetando principalmente as mulheres, os homens também podem sofrer de varizes pélvicas, causando uma muito diferentes sintomas e as consequências podem ser muito graves. Então, confira Varizes Pélvicas – Causas, Sintomas e Tratamento. As varizes pélvicas são muito mais comuns entre as mulheres que tiveram gestações múltiplas, de fato, é normal que depois de cada gravidez vai piorar essas varizes. Varizes Pélvicas em Homens: Embora esta doença é muito mais comum em mulheres do que homens, os homens não estão a salvo das varizes pélvicas. Os exames que diagnosticam as varizes pélvicas nas mulheres são eco-doppler, tomografia abdominal ou pélvica e angiorressonância. As mulheres com varizes pélvicas podem engravidar, mas devem fazer o tratamento antes. Em algum momento da vida, 39,1% das mulheres terão dor pélvica crônica, que podem estar associadas às varizes pélvicas. Pode ser necessário o tratamento cirúrgico com a embolização das varizes pélvicas, sendo minimamente invasivo, todo realizado através de uma pequena punção na virilha ou na jugular.